Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O amargo do morango

Blog sobre tudo e sobre nada. Sobre mim. Humor. Drama. Vida...

O amargo do morango

Blog sobre tudo e sobre nada. Sobre mim. Humor. Drama. Vida...

...

 

Mulher, 20 anos, 1,56, 57 quilos

Nunca foi fácil ser do sexo feminino. Apesar de já não lutarmos pelo direito de voto, hoje a guerra é outra, contra nós próprias! Sejam os media, publicidade, famosos… todos nos fazem pensar que temos de ter aquela altura perfeita, aquele peso , aquela cor de cabelo e até mesmo aquela cor de pele. Incutiram-nos uma imagem photoshopada de nos próprias.

Todos os dias pomos maquilhagem, saltos altos e roupa por vezes desconfortável só para sermos aceites mas, a cima de tudo, para nos inserirmos nesta sociedade das shelfies… Como digo várias vezes no meu blog, sou baixinha (1,56) e orgulho me disso. Já não sou perfeita por isto, mas para alem disso não tenho mamas, tenho o nariz ligeiramente torto, nem vos falo da flacidez do meu rabo e quando chega a primavera uiii, a minha cara parece um bolo. Lindo portanto! Juntem tudo isto a uma cara de bebe. Ninguém me leva a serio em vários assuntos.

Nós mulheres se nos defendemos não passamos de umas feministas malucas com as hormonas aos saltos e se nos criticamos, é um pau de dois bicos: ou nos tornamos mais fortes ou quebramos. Constante pressão. Ser mãe, dona de casa, boa profissional e por vezes ser o homem faz tudo de casa… e ainda ter de ligar a tv, abrir uma revista e ver mulheres perfeitas que trabalham só e simplesmente para o corpo, isto enquanto comemos uma guilty pizza. Não sou muito fã mas ainda bem que existem mulheres como a Kim  Kardashian, parecendo que não veio alterar muitas formas de pensar.

Mas voltando a mim, sim já senti na pele a descriminação de ser baixinha e como muitas outras adolescentes já olhei para o espelho e chorei por não ver umas pernas longas e esguias, chorei por ver estrias, chorei por ter perdido muito peito, por ter borbulhas, por ter um nariz que parece uma batata e umas orelhas que davam para fazer de pára-quedas não sou gorda mas também não sou magra, sou só esquisita.

Tudo isto para dizer apenas que somos sempre o mexilhão. Principalmente, hoje, em que todos criticam todos muito devido às redes sociais. O bulling é tão fácil! Que podemos nós fazer? Criaram monstros que se escondem por traz de ecrãs. Jovens que olham a vida como um jogo em que rapidamente podem carregar no botão reset e tudo está bem outra vez. No entanto, a vida é para aprender com os erros e não para os apagar… Estamos tão isolados que é, simplesmente, divertido ver a desgraça dos outros.

Baixas, altas, magras, gordas, brancas, pretas, ciganas… tudo isto não passam de rótulos. Todas somos especiais, todas podemos mudar o mundo e superar todos os episódios desagradáveis que apesar de tudo nos fazem crescer. O importante é olhar para esses momentos como lições.

Erguer a cabeça e sonhar mais, lutar mais , viver mais!

 The Girl...

 

 

Ps: Goretti Nunes espero ter ajudado de alguma forma, beijocas e boa sorte.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.